Bodas de estanho ou zinco

Ahhhh, o dia mais romântico do ano chegou, e por aqui o nosso coração é só amor e muuuito carinho, minhas  Bodas de 10 anos, se você chegou até aqui lendo toda a nossa saga, contadas nos posts anteriores, continue acompanhando, ainda vem muita coisa legal por aí.

O estanho e o zinco são metais resistentes à corrosão, significa que para chegar até aqui precisa de cuidado e persistência frente aos problemas.

Como falei em outros posts de aniversário e casamento,(Bodas de lã ou latão e Bodas de barro e papoula) sempre gosto de comemorar de uma forma significativa meus aniversários de casamento, acredito que são essas pequenas comemorações que faz a vida ser mais bonita, mais feliz e muito mais alegre. Não deixem passar em branco o dia em que fizeram esse compromisso! Vocês precisam comemorar! Não precisa ser algo grandioso, pode ser algo só entre vocês dois, que demonstre o quanto ainda querem continuar casados com a pessoa amada, apesar de tudo que passam juntos! Isso fortalece o casal, mostra que estão dispostos a fazer algo um pelo outro.

Renovar os votos…

Um jantar especial…

Uma segunda lua de mel…

São tantas ideias….Nós estávamos prestes a viajar para uma lua de mel no Chile, agora no inicio de abril, porém devido aos últimos acontecimentos recentes tivemos que adiar nossa viajem; ficamos muito tristes, arrasados, mas apesar de tudo, gratos a Deus, vimos muitos brasileiros presos em outro pais tentando voltar para casa, e pensamos que poderíamos estar em condições piores….mas chega de falar de coisas ruins. De forma alguma deixaríamos passar em branco, fizemos nosso ensaio em casa mesmo para eternizar esse momento. Bora conferir?

 

 

 

Passamos fases bem complicadas, mas a mais difícil foi quando tivemos que ficar distante um do outro. Não sei se muitos sabem, mas houve um período de minha vida que moramos fora Petrolina, por 4 longos anos, rsrsrs, para vocês podem parecer pouco, mas para quem estava sentindo na pele, cada dia era uma tortura e demorava horrores. Durante esse processo eu viajava muito para Petrolina para trabalhar (sou fotografa de casamentos e vinha cobrir eventos). A sensação de deixa-lo era como se eu estivesse carregando um fardo que não era meu, um peso que eu não conseguiu carregar, aquele aperto no peito e na garganta sufocante, parecia que estava correndo uma maratona, mas não sei em troca de quê. Nada fazia sentido, eu estava sempre rodeada de pessoas conhecidas, família, amigos, e ficava na casa que um dia havia sido minha( casa de minha mãe), engraçado, porque nada ali era como se fosse meu e eu me sentia só, pois faltava uma parte de mim. Houve um desenvolvimento de maturidade no relacionamento, de evolução para ambos, vamos aprendendo a amar sem sufocar, a escolher as palavras certas que unem ao invés de afastar, a amar essa pessoa em constante mutação que está caminhando conosco, a ceder e a ver o mundo por outros olhos. Foi um processo doloroso, mas passamos nos amando ainda mais do que antes e valorizando a cada segundo que estávamos juntos e isso se efetua até hoje. Desde que o conheci eu tive a certeza de que a tal da tampa da panela realmente existe, pois somos o encaixe perfeito!!

By
0

You may also like

Leave a Reply